Gestão de negócios

Capital de giro: o que é? Como calcular e controlar o seu

Usar com cautela os recursos do seu capital de giro contribui para a saúde financeira da empresa. Neste artigo, você vai aprender como calcular e investir essa reserva.

A saúde financeira de uma empresa é o que faz com que ela tenha longos anos de sucesso ou feche as portas logo depois de ser aberta. E, para que você esteja no primeiro grupo, é fundamental que tenha um valor reservado para manter as contas em dia, conhecido como capital de giro, exatamente como acontece com o orçamento doméstico.

Assim, nos períodos de baixa movimentação ou quando o dinheiro demorar um pouco mais para entrar no seu caixa, você terá como manter os negócios sem se endividar ou recorrer a empréstimos.

Mas não basta contar com um capital de giro; é preciso utilizá-lo com responsabilidade e estratégia. Para te ajudar na gestão desses recursos, vamos explicar neste artigo como calcular seu capital de giro e como usá-lo a favor das suas finanças.

O que é capital de giro?

O capital de giro é o valor que a empresa reserva para as despesas operacionais de rotina, que incluem custos fixos e variáveis. O termo “giro” se refere à movimentação dos recursos, já que se trata de um dinheiro que circula de forma ativa, seja para pagar um fornecedor, seja para manter o aluguel em dia.

Além de garantir o pagamento das contas enquanto o dinheiro não chega ao caixa, o capital de giro também possibilita que você ofereça prazos para seus clientes, pois terá como cobrir as despesas até o pagamento. Dessa forma, você também impulsiona os negócios, já que vendas a prazo atraem mais compradores.

Como calcular o valor do capital de giro?

Contas a receber, estoque, conta bancária… Tudo isso influencia no cálculo do seu capital de giro e vamos te explicar como. Veja, a seguir, o que levar em conta para que suas finanças fiquem equilibradas.

Contas a receber

Como falamos logo acima, com uma reserva financeira garantida, você pode vender a prazo. No entanto, quanto maior for o tempo que você vai precisar esperar pelo pagamento, maior será a quantia necessária para garantir as operações diárias até que o dinheiro caia no faturamento.

Estoque

Ficar sem mercadorias por falta de dinheiro para repor o estoque é um problema que nenhum empreendedor quer enfrentar. Mas não basta ter produtos à venda; é preciso estar atento a novas tendências do mercado consumidor para atender aos clientes. Portanto, é preciso contar com um valor reservado para eventuais mudanças tanto do tipo quanto do número de itens que vai comercializar.

Caixa e conta bancária

Esqueça o dinheiro que você tem a receber e responda: onde estão os recursos financeiros com os quais você pode contar agora mesmo? É claro que ou estão no seu caixa ou na sua conta corrente, certo? Quanto menor o valor que você tem disponível nessas duas fontes, maior deve ser a sua reserva.

Agora que você já entendeu como esses fatores influenciam na saúde financeira da sua empresa, é hora de calcular seu capital de giro ideal. A fórmula é bem simples:  AC – PC = CG. Mas o que essas siglas significam?

AC é o seu ativo circulante, que inclui aplicações financeiras, seu dinheiro em caixa ou na conta bancária, as contas que você tem a receber, entre outros recursos. Já PC se refere ao passivo circulante, ou seja, todas as contas a pagar, como impostos, fornecedores, contas de luz e internet, empréstimos, etc. O ideal é que o seu capital de giro fique em torno de 60% do total de ativos.

Como usar seu capital de giro?

Não ter dinheiro para manter as contas em dia e ter que apelar para empréstimos para manter as portas abertas é o pesadelo de qualquer empreendedor. Mas, se você fizer um bom controle de suas receitas e despesas e usar de forma consciente seu capital de giro, é possível realizar suas atividades de forma tranquila e sem inadimplências.

Para te ajudar nessa gestão, listamos algumas dicas para gerenciar com eficiência o capital de giro: 

1. Reduza as despesas

Coloque no papel todas as despesas que você tem atualmente para manter sua empresa funcionando e analise onde é possível reduzir ou mesmo cortar gastos. Mas faça isso com cautela, entendendo onde os cortes não vão comprometer sua operação e a qualidade dos seus serviços.

2. Reponha os valores

Sempre que usar o capital de giro para cobrir alguma despesa, reponha o valor assim que possível. Dessa forma, sua reserva estará permanentemente garantida.

3. Peça descontos

Se as contas apertaram, converse com seus fornecedores e tente negociar descontos ou prazos maiores para o pagamento, de forma que não precise recorrer a dinheiro externo, como empréstimos, para saldar as dívidas.

4. Controle seu estoque

Mercadoria parada é sinal de problema. Faça uma análise de como suas compras podem ser mais rentáveis e controle seu estoque, pois nem sempre comprar mais significa vender mais. Mas tome cuidado com as armadilhas de promoções na tentativa de desencalhar os produtos, fazendo sempre uma precificação inteligente em suas ofertas.

5. Incentive compras à vista

É claro que o parcelamento atrai clientes e pode ajudar a aumentar as vendas, no entanto, requer um tempo maior para que o dinheiro realmente chegue ao caixa. Oferecer descontos para pagamento à vista, por exemplo, pode ser interessante para o cliente e garantir a venda sem comprometer seu capital de giro.

6. Busque um investidor

Uma forma de aumentar seu capital de giro sem se endividar é buscar pessoas ou empresas dispostas a investir na sua empresa. Fundos de investimentos e investidores-anjo podem ser boas alternativas para dar aquele up no seu caixa sem precisar de empréstimos e financiamentos.

7. Automatize processos

Sistemas automatizados de gestão agilizam as tarefas de rotina e ainda te ajudam a ter uma visão mais clara de suas receitas e despesas, oferecendo um cenário real de como está a saúde financeira da sua empresa e contribuindo para as melhores tomadas de decisão.

Com o sistema da Digisan, é possível reunir, em uma única plataforma, dados como custos da empresa, movimentações das vendas e controle de estoque, de forma automática e precisa, sem necessidade de conferências ou digitação.

Entre em contato agora e solicite um teste grátis do emissor de NF-e Digisan.

Você também pode gostar

Voltar ao blog