Empreendedorismo

Como conseguir um investidor anjo para sua empresa

Se você está começando uma empresa e quer saber como conseguir um investidor-anjo para que ela cresça mais rapidamente, este artigo tem a solução para você.

Começar um negócio com apoio financeiro para que ele se desenvolva com mais rapidez no estágio inicial é um grande passo para alcançar o sucesso. Então, se você já procurou opções e quer saber como conseguir um investidor-anjo para acelerar o seu empreendimento, este artigo vai te ajudar.

Primeiro, para quem não conhece o termo, investidor-anjo é uma pessoa ou empresa que dá suporte financeiro e mentoria a negócios nos quais identificam grande potencial. Para conseguir esse apoio, a sua empresa precisa atender a alguns critérios, como inovação e potencial de lucratividade. 

Você pode não saber, mas gigantes como Google, Facebook e Apple contaram com investidores-anjos em seu início. Isso porque esse tipo de investimento já é consolidado no mercado internacional e, embora ainda seja pouco difundido no Brasil, vem crescendo ao longo dos anos.

De acordo com a Anjos do Brasil, uma organização sem fins lucrativos referência no assunto no país, o volume de investimentos-anjos no Brasil cresceu 17% de 2020 para 2021. Em valores, isso representa mais de R$ 1 bilhão investidos em empresas brasileiras.

Seus olhos já brilharam com a possibilidade? Então, continue a leitura para saber o que você pode fazer para atrair um investimento-anjo e dar o pontapé inicial para o sucesso dos seus negócios.

O que é um investidor-anjo? 

Como explicamos antes, investidor-anjo é quem investe em negócios nos quais vê muito valor. Esse tipo de estratégia é amparado pela Lei Complementar 155/2016, que estabelece que uma Pessoa Jurídica ou Física pode dar apoio a microempresas ou empresas de pequeno porte para que se desenvolvam, obtendo retorno do investimento por meio dos lucros gerados pelas investidas.

O termo “anjo”, que surgiu nos Estados Unidos no início do século 20, se refere ao fato de que o apoio não é apenas financeiro, mas também de conhecimento. Nesse modelo de investimento, além de dinheiro, o “anjo” oferece sua experiência, seus contatos e todo um suporte de mentoria para ajudar os pequenos empreendedores a crescerem. Por isso, a estratégia também é conhecida como smart money, ou“dinheiro inteligente”, em uma tradução livre.

Quais os critérios para receber um investimento-anjo?

Em qualquer negócio, o objetivo principal é o lucro e, em um investimento-anjo, não é diferente. Em troca de seu apoio em dinheiro, conhecimento e networking, o investidor quer ter retorno financeiro. Por isso, ele procura um perfil de empresas bem específico para dar seu suporte.

De forma resumida, esse perfil inclui inovação, escalabilidade, um mercado com grande potencial de crescimento e alta rentabilidade. Com essas características bem evidentes, startups costumam ser as preferidas, mas há outros critérios para que um investidor-anjo se interesse por sua empresa. Veja, a seguir, algumas características ideais apontadas pela Anjos do Brasil:

  • Faturamento inferior a R$ 1 milhão por ano;
  • Necessidade de aporte entre R$ 100 mil e R$ 800 mil;
  • Inovação em produto, serviço, processo de fabricação, modelo de negócio ou forma de comercialização;
  • Alto potencial de crescimento e com condições de crescer sem encarecer os custos de operação;
  • Mercado-alvo com movimentação superior a R$ 500 milhões por ano;
  • Modelo de negócio difícil de ser copiado por concorrentes.

Como conseguir um investidor-anjo?

Você se identificou com o tipo de empresa que um investidor-anjo busca? Então, agora é hora de aprender como atraí-lo e convencê-lo de que você tem uma proposta de valor para ele.

O ideal é que sua empresa já esteja em atividade, mesmo que apenas em teste, e que você já tenha um modelo definido e resultados para apresentar. No caso de um investidor-anjo, você também deve identificar como ele pode contribuir com os seus negócios a partir dos recursos financeiros e de mentoria que vai oferecer. Por isso, geralmente, o processo de captação de um investimento-anjo inclui duas etapas: a estruturação do negócio e a captação de recursos propriamente dita.

Como fazer uma boa estruturação de negócio?

Estruturar um negócio é uma tarefa que inclui planejamento e ações. Não basta saber como abrir um CNPJ e fazer uma boa gestão financeira; é preciso estudar e entender seu mercado, desenvolver e aplicar estratégias. 

Pesquise sobre seu ramo de atuação, converse com clientes e empreendedores do mesmo segmento, identifique suas vantagens competitivas e esteja aberto para testar e validar ideias. Antes de procurar um investidor-anjo, tenha uma estrutura definida e validada por clientes, de forma que comprove que sua ideia é viável e seu produto tem valor.

Como captar o investimento?

Para ter sucesso na negociação, é preciso apresentar sua empresa de forma atrativa. Desenvolva um bom material do seu modelo de negócio, que destaque seus diferenciais e mostre toda a parte de estruturação que você desenvolveu.

Com essa apresentação preparada, você já pode procurar um investidor-anjo. Aí, pode vir a dúvida: “Mas onde eu encontro um?”.

Comece conversando com seus contatos para descobrir se existe alguém próximo ou já conhecido que possa se tornar seu “anjo”. Você também pode encaminhar seu projeto para redes de investidores-anjos ou participar de eventos para apresentação da sua proposta.

Como apresentar o projeto?

Você já estruturou seu negócio, criou uma bela apresentação e encontrou a pessoa certa para ser seu investidor-anjo. Mas, agora, como garantir que a conversa seja um sucesso?

Para que a apresentação do projeto já comece bem, o primeiro passo é ser objetivo. O perfil de um investidor é de uma pessoa ocupada, com agenda cheia e sempre sendo solicitado para resolver algo. Então, não tome muito tempo dele e venda sua ideia de forma clara e breve, tentando não ultrapassar 10 minutos.

De forma resumida, você deve mostrar características atrativas e que fazem diferença, como:

  • o que é o seu produto ou serviço;
  • que valor ele tem para o cliente;
  • o que ele tem de inovador em relação ao que já existe no mercado;
  • qual seu potencial de crescimento;
  • como vai gerar receita;
  • qual a previsão de faturamento;
  • qual o valor do investimento que você busca e onde e como será usado.

Além disso, é importante explicar o que o investidor-anjo tem a ganhar com a sua proposta. Inclua na apresentação, o percentual de participação que ele terá em troca do capital e métricas que comprovem o potencial de lucratividade de sua empresa, como Reservas x Receita, Lucro bruto e Crescimento Mês a Mês (MoM).

Pronto para conseguir um investidor-anjo?

Contar com um suporte financeiro e dicas de mentoria de alguém experiente e bem-sucedido é uma vantagem capaz mudar os rumos do seu negócio e da sua vida. Por isso, saber como conseguir um investidor-anjo pode ser aquela virada de chave que faltava para transformar sua ideia em sucesso.

E, como você viu neste artigo, uma boa estruturação faz toda a diferença na hora de captar esse tipo de investimento. Ter suas contas organizadas e uma gestão eficiente não só indica que você está com a “casa arrumada” como preparado para crescer de forma planejada.

O sistema da DIGISAN contribui com esse controle e automatiza tarefas para que você se concentre em fazer sua empresa crescer. Entre em contato e solicite um teste grátis do emissor de notas fiscais DIGISAN.

Você também pode gostar

Voltar ao blog