Gestão de negócios

Capital Social: o que é e como definir o valor de uma empresa

Capital Social é o investimento inicial necessário para abrir e manter uma empresa em seus primeiros passos. Mas você sabe como calcular esse valor? Veja neste artigo.

Ao abrir uma empresa, é normal que você crie muitas expectativas e, claro, queira começar a colher os frutos o quanto antes. No entanto, até chegar lá, é preciso investir recursos próprios tanto para custear as despesas de abertura da empresa quanto para sua manutenção inicial. Esse investimento inicial é o que chamamos de Capital Social.

O cálculo para determinar esse valor não é aleatório. Para atender à legislação e evitar problemas no futuro, é essencial que o Capital Social seja bem planejado. Afinal, é com ele que você vai pagar as primeiras despesas, desde a formalização da empresa até a contratação de mão de obra.

Mas como chegar ao valor ideal? Qual a importância e o que impacta no sucesso do seu negócio? Neste artigo, você terá essas e outras respostas.

O que é Capital Social e qual sua função?

Capital Social é o valor bruto investido pelo empreendedor e seus sócios para abrir uma empresa e mantê-la até que comece a dar lucro. Nesse cálculo, entra tanto o dinheiro disponibilizado quanto bens, como equipamentos e mobiliário. Por isso, o Capital Social também pode ajudar a determinar quanto vale uma empresa.

O valor determinado como Capital Social deve estar documentado no Contrato Social da empresa. Dessa forma, além de atender à legislação, fica mais fácil controlar o montante investido, especialmente se você tem sócios.

A função do Capital Social é manter a empresa funcionando até que ela comece a dar retorno financeiro e seja possível caminhar com as próprias pernas. Então, como você pode imaginar, esse valor precisa ser planejado pensando-se desde as despesas para a formalização da empresa como para pagamento de aluguel, compra de maquinário e mercadorias, contratação de serviços, etc.

Além disso, o valor declarado também influencia a expansão dos negócios e é levado em conta para concessão de créditos bancários, por exemplo..

Por isso, a definição do valor deve ser estratégica e baseada em um plano de negócios que inclua tanto o cálculo das despesas iniciais quanto uma expectativa de prazo para que a empresa comece a dar lucro e uma estimativa de receita mensal.

MEI e EI precisam registrar Capital Social?

A definição de Capital Social para Microempreendedor Individual (MEI) e Empresário Individual (EI) não é exigida por lei, portanto, não há um valor mínimo obrigatório.

Mesmo assim, é importante definir o Capital Social para controle próprio e análise dos negócios. Lembre-se que MEIs e EIs não podem ter sócios, então, eles precisam custear sozinhos o início das atividades.

Nesse cálculo, é possível incluir desde os custos para iniciar um negócio até os gastos com equipamentos, como computador, impressora ou algum maquinário específico para sua atividade. 

Dessa forma, a orientação é registrar, no  mínimo, R$ 1.000,00, o que corresponde aos custos iniciais de formalização como Pessoa Jurídica.

Como estabelecer o Capital Social?

Determine um prazo para retorno financeiro

Você não pode iniciar uma atividade profissional sem ter ideia de quando ela vai começar a render, certo? Por isso, para definir seu Capital Social, leve em conta quanto tempo vai levar para você começar a colher os resultados e também uma estimativa de receita mensal. Assim, você consegue controlar quanto tempo vai levar para recuperar o valor investido.

Calcule todos os gastos

Como você já entendeu, é esse investimento inicial que vai garantir que sua empresa funcione por um determinado tempo. Então, coloque no papel tudo o que vai gastar para iniciar as atividades e mantê-las por esse período. Considere desde o custo para abrir um CNPJ até as despesas com contas de luz, telefone, aluguel e salários, caso vá contratar colaboradores.

Defina a participação dos sócios

Na definição do Capital Social, também é importante documentar quanto cada sócio vai investir, pois isso também pode influenciar na participação de cada um, dependendo do modelo de negócio. E não estamos falando apenas em dinheiro. A experiência, a carteira de clientes que ele traz, os equipamentos que vai disponibilizar também entram nessa conta.

Formalize o Capital Social

Empresas obrigadas por lei a definir um valor de Capital Social devem registrar o valor no Contrato Social, junto a informações como direitos e deveres de cada sócio, pró-labore e regras do negócio.

É possível alterar o valor?

Sim, em casos de alteração do valor investido, para mais ou para menos, é possível alterar o Capital Social. No entanto, essa mudança inclui despesas extras e trâmites burocráticos.

Se você precisar aumentar o Capital Social devido a um novo investimento, por exemplo, precisa registrar essa alteração no Contrato Social. Para isso, também será necessário ajustar as cotas dos sócios e pagar taxas para a Junta Comercial e para o serviço de Contabilidade da empresa.

Já para reduzir o Capital Social declarado, é necessário publicar a alteração em um jornal de grande circulação, explicando o motivo da mudança, e aguardar 90 dias para possíveis objeções. Se, depois disso, não houver manifestações, você poderá efetivar o ajuste do valor. Nesse caso, a despesa também é alta para concluir a alteração.

Como administrar o Capital Social?

O Capital Social é o recurso que garante que sua ideia de empreendedorismo se torne realidade e que contribui para a sobrevivência da empresa em sua fase inicial, por isso, sua gestão deve ser estratégica. 

Como todos os recursos financeiros necessários para os primeiros passos virão desse aporte, é preciso administrar com cautela o seu fluxo de caixa. Afinal, você não quer começar as atividades sem planejamento e acabar se endividando antes que os negócios comecem a dar lucro, certo?

Por isso, contar com um bom sistema de gestão pode te ajudar a empreender com mais segurança, profissionalismo e produtividade, além de facilitar sua rotina e evitar uma série de contratempos e prejuízos que podem levar sua empresa a fechar as portas.

Para administrar com mais eficiência seu Capital Social e seu fluxo de caixa, conte com um emissor de notas fiscais ágil e totalmente automatizado para lhe acompanhar nesse desafio. A DIGISAN oferece soluções seguras e simplificadas com um excelente custo-benefício, independente do porte de sua empresa.

Solicite agora um teste gratuito do nosso emissor de notas fiscais.

Você também pode gostar

Voltar ao blog